Pedaços de Mim

 

Pedaços de Vida, Paridos, Sentidos, Vividos



Meu Diário
11/08/2014 22h29
A LIÇÃO DO CESTO DE JUNCO



Um discípulo chegou para seu mestre e perguntou:



 - Mestre, por que devemos ler



e decorar a Bíblia se nós não conseguimos



memorizar tudo e com o tempo



acabamos esquecendo?



Somos obrigados a constantemente decorar



de novo o que já esquecemos.



 O mestre não respondeu imediatamente



ao seu discípulo.



Ele ficou olhando para o horizonte



por alguns minutos



e depois ordenou ao discípulo:



- Pegue aquele cesto de junco, desça até o riacho,



encha o cesto de água e traga até aqui.



O discípulo olhou para o cesto sujo



e achou muito estranha a ordem do mestre,



mas, mesmo assim, obedeceu.



Pegou o cesto sujo,



desceu os cem degraus da escadaria do mosteiro



até o riacho, encheu o cesto de água



e começou a subir de volta.



Como o cesto era todo cheio de furos,



a água foi escorrendo



e quando chegou até o mestre



já não restava nada.



O mestre perguntou-lhe:



-Então, meu filho, o que você aprendeu?



O discípulo olhou para o cesto vazio



e disse, jocosamente:



-Aprendi que cesto de junco não segura água.



O mestre ordenou-lhe que repetisse



o processo de novo.



Quando o discípulo voltou



com o cesto vazio novamente,



o mestre perguntou-lhe:



-Então, meu filho, e agora,



o que você aprendeu?



O discípulo novamente respondeu com sarcasmo:



-Que cesto furado não segura água.



 O mestre, então, continuou ordenando que



o discípulo repetisse a tarefa.



Depois da décima vez,



o discípulo estava desesperadamente exausto



de tanto descer e subir as escadarias.



Porém, quando o mestre lhe perguntou de novo:



 -Então, meu filho, o que você aprendeu?



 O discípulo, olhando para dentro do cesto,



percebeu admirado:



-O cesto está limpo! Apesar de não segurar a água,



a repetição constante de encher o cesto



acabou por lavá-lo e deixá-lo limpo.



O mestre, por fim, concluiu:



 -Não importa que você não consiga decorar



todas as passagens da Bíblia que você lê,



o que importa na verdade,



é que através deste processo a sua mente



e a sua vida ficam limpos diante de Deus. 



 





Publicado por JANINHAMell em 11/08/2014 às 22h29
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce pode copiar e divulgar a vontade, citando os devidos creditos). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
11/08/2014 21h58
TRIGONOMETRIA AMOROSA

 

TRIGONOMETRIA AMOROSA


Um Quociente apaixonou-se
Um dia
Doidamente
Por uma Incógnita.

Olhou-a com seu olhar inumerável 
E viu-a, do Ápice à Base...
Uma Figura Ímpar;
Olhos rombóides, boca trapezóide,
Corpo ortogonal, seios esferóides.

Fez da sua
Uma vida
Paralela à dela.
Até que se encontraram
No Infinito.

"Quem és tu?" indagou ele
Com ânsia radical.
"Sou a soma do quadrado dos catetos.
Mas pode chamar-me Hipotenusa."

E falando descobriram que eram
O que, em aritmética, corresponde 
A alma irmãs
Primos-entre-si.

E assim se amaram
Ao quadrado da velocidade da luz
Numa sexta potenciação
Traçando
Ao sabor do momento
E da paixão
Retas, curvas, círculos e linhas sinusoidais. 

Escandalizaram os ortodoxos
das fórmulas euclidianas
E os exegetas do Universo Finito.

Romperam convenções newtonianas
e pitagóricas.
E, enfim, resolveram casar-se.
Constituir um lar.
Mais que um lar, 
Uma Perpendicular.

Convidaram para padrinhos
O Poliedro e a Bissetriz.
E fizeram planos, equações e
diagramas para o futuro
Sonhando com uma felicidade
Integral
E diferencial.

E casaram-se e tiveram 
uma secante e três cones
Muito engraçadinhos.
E foram felizes
Até aquele dia
Em que tudo, afinal,
se torna monotonia.

Foi então que surgiu
O Máximo Divisor Comum...
Frequentador de Círculos Concêntricos 
Viciosos.
Ofereceu, a ela,
Uma Grandeza Absoluta,
E reduziu-a a um Denominador Comum.

Ele, Quociente, percebeu
Que com ela não formava mais Um Todo,
Uma Unidade.
Era o Triângulo,
chamado amoroso. 
E desse problema, ela era a fracção
Mais ordinária.

Mas foi então que Einstein descobriu a
Relatividade.
E tudo que era expúrio passou a ser
Moralidade.
Como aliás, em qualquer
Sociedade admiravel.


Publicado por JANINHAMell em 11/08/2014 às 21h58
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce pode copiar e divulgar a vontade, citando www.janinhamell.com e os devidos creditos). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
11/08/2014 21h48
CONTENTE-SE



 
Não se entristeça

porque não está entre os mais ricos e afortunados.

Não é o muito ou o pouco que faz a sua felicidade.

Você pode viver feliz tendo muito ou pouco

e ser infeliz, mesmo sendo rico, por não ter o bastante.

O que interessa é a sua maneira de ver os bens,

e de ver a sua espiritualidade.

Recorde o que o Senhor Jesus ensinou:

"A vida de cada um não está

na abundância das coisas que possui".

Cuide da sua riqueza interior.

Os bens que você tem são adicionais,

o principal é o que está dentro de você

 


Publicado por JANINHAMell em 11/08/2014 às 21h48
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce pode copiar e divulgar a vontade, citando o site www.janinhamell.com e os devidos creditos). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
11/08/2014 21h02
REFLEXÃO

 

Toda noite me recuperando para voltar a labuta ,

vou lapidando todo o meu ser

e eliminando a presença o mal de minhas entranhas

porque somos espíritos e fortalecidos por Deus em amor ágape

vestimos o escudo espiritual que domina todas as emoções

e controla nossos sentimentos

nos fazendo mansos e humildes e pessoas de bem ,

que sabem o que querem e que nunca se arrependem

de fazer o bem sem olhar a quem

eliminando o que é ruim para o nosso viver

enxergamos o mundo com outros olhos

e não somos apenas passageiros

neste trem chamado felicidade,

mais somos condutores, não tendo medo de ser feliz,

superamos a nos mesmos e podemos ir muito mais alem

Busco dentro de mim o que é melhor para as outras pessoas

e resgato valores de minha infância

aonde não existia maldade em minha forma de ser

o mundo nos machuca e nos

erroneamente culpamos outras pessoas,

ele nos machuca usando nos mesmos contra nos

portanto boas ações e pensamentos bons

mudam todas as leis de causa e efeito

vim a este mundo para vencer o mundo

e não fazer parte dele ,

não quero ser uma raiz e ficar neste mundo

sou espírito e voltarei para a verdadeira vida

assim que minha missão chegar ao fim

nesta plenitude de tempo e espaço

reconheço que o ser humano nasce puro

e é corrompido pelo mundo,

mais em espírito podemos vencer

nossos desejos e vontades

e superar a nos mesmos

Vivendo uma vida regrada pelo amor e a boa e velha paz

 

 

 


Publicado por JANINHAMell em 11/08/2014 às 21h02
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce pode copiar e divulgar a vontade, citando o site www.janinhamell.com e os devidos creditos). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
16/07/2014 21h23
COERÈNCIA DA VIDA

 

Não há vida sem responsabilidade.
Todo ser tem direitos e obrigações.

Não há ação sem testemunha.
Somos participantes da Vida Universal.

Não há bem ou mal gerado espontaneamente.
Todo ato surge após o autor.

Não há erro com razão.
Só a verdade é lógica.

Não há sentimentos incontroláveis.
O espírito é o criador da própria emoção.

Não há dificuldade intransponível.
Cada aluno recebe lições conforme

o entendimento que evidencie.

Não há perfeita alegria que viceje no insulamento.
                     A felicidade é bênção de luz                         que apenas medra no terreno da solidariedade.

E, finalmente...

NÃO HÁ PONTO FINAL PARA O AMOR.
O AMOR É VIDA E A VIDA É ETERNIDADE.

 


Publicado por JANINHAMell em 16/07/2014 às 21h23
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (voce pode copiar e divulgar a vontade, citando os devidos creditos ao site www.janinhamell.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Página 1 de 3 1 2 3 [próxima»]


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
<script src='http://devocionais.amoremcristo.com/tools/devocionais_embed.asp' charset='utf-8'></script>