Pedaços de Mim

 

Pedaços de Vida, Paridos, Sentidos, Vividos



Meu Diário
12/02/2020 17h32
SERÁ?

Eu há muito estou sózinha, tenho conversado e tentado conhecer uma pessoa que me faça ter vontade e segurança de de mudar meu estado atual.

Sinto que isso é muito dificil para uma pessoa como eu, acostumada a solidão e muito complicada para pessoas mediocres, sem vontade de se doar.

Sempre fui, desde meu começo profissional, acostumada a mandar, muito exigente e perfeccionista no que fazia.

Quando ainda menina, muito sonhadora e romantica, viajava em mim, pensando no principe encantado, e rabiscava, versos, poemas, textos fantasioso sobre este principe, então cursei filosofia, ciencias e letras, (porque ganhei uma bolsa  para esta faculdade) pensando que meu sonho seria realizado, eu seria escritora, tudo bem está tudo certo, pensei...

Mas a relidade é bem diferente, do que sonhamos. Alguem que sempre me aconselhava para o bem, falou uma verdade que doeu muito naqula hora, mas que me fez refletir e aceitar, fui eu  cursar administração de empresas, que me is deu mais tarde condições de manter minha familia, de eu mais 4 filhos abandonados por alguém inconsequente e relapso, que não vem ao caso agora.

Criei meus filhos, trabalhei muito, descansei pouco, mas nada diminuia minha garra e persistencia, eu tinha em mente que os trouxe ao mundo, teria que encaminhá-los e dar condição de terem uma vida digna.

Tudo isso me fez viver pouco para mim, tentei uma vida conjugal e outra mas devido a minha autoridae, talvez, ou ao pouco determinismo da outra pessoa, nada dava certo, era meus filhos, minha vida, minha condição profissional, meu  meus ganhos, fazia o lado amoroso não fluir, muitos problemas, que eram só meus, muitas horas de lazer que eram de todos menos minhas, momentos bons eram para todos, momentos maus eram só meus, resultado?

Eu resolvi que vida amorosa, não seria mais para mim, tornei-me uma pessoa solitária, sendo perfeccionista, muito critica, nenhum homem servia para meu companheiroi,só encontrava defeitos superando qualidades, eu tinha problemas com relacionamento, jamais conseguiria manter um relacionamento se não aceitasse que todos temos defeitos, assim levei minha vida, cumpri minhas obrigações de mãe, de amiga, de ajudadora de muitos, de empresária, de autoritária, menos de companheira de cama.

Os filhos cresceram,, cada um tomou seu rumo, coisa natural, trabalho, casa, familia, onde a mãe foi apenas a que teve obrigação de levá-los até este momento, dali para frente já não faz mais o papel principal na vida de cada um, ela é a que menos sabe, a que menos pode opinar, a que não serve para aconselhar, tornou-se apenas a mãe, que vez ou outra vão visitar, uns mais amorosos, outros mais distantes, pois não querem mãe dando pitaco em minha casa, jamais. É o ciclo da vida, a mudança natural de tudo, cada um cumpre seu papel e depois fica nos bastidores aplaudindo. Se para eles a vida sorri, tudo dá certo, viva... se algo dá errado, aí novamente lembram, tenho mãe, ela vai me socorrer, assim foi, asssim é,  assim sempre será por toda a eternidade.

Como aconteceu comigo, vai acontecer com eles, com seus filhos e com  todos

Mas como somos seres pensantes, com sentimentos, com necessidades e com desejos, a solidão nos cobra uma atitude, passei  muito tempo sozinha,  em meu caminho passaram pessoas de todo tipo, mas ninguem para ser meu companheiro, tornei-me a eterna solitária por opção, mas a solidão batia a minha porta a todo instante cobrando, meus sonhos e romantismo me cobravam, eu precisava tirar aqueles sonhos do papel, tornar realidade o que brotava de mim em forma de textos, de fantasias, de romantismo. 

Pode uma pessoa tão romantica, escolher viver sozinha, abdicar do amor, ainda além disso dizer que procurava um grande amor?

Sim pode, eu passei por isso, eu chorei por isso, eu busquei isso, eu vivi um grande amor, mas que, tambem me fez ficar pior em meus argumentos.

A única coisa que nunca consegui afirmar é que o amor não existe, eu sabia que existia, eu senti isso, eu chorei por isso, eu amava de alguma forma a muitas pessoas, eu sabia que existia varias formas de amor, escrevia sobre amor fraterno, amor vulcanico, amor  enrustido, estranhos, amor bandido,  e como falei  decifrando o amor eu escrevi

Tentando entender os conceitos diversos
Eu também não saberia  definir como
Nem sei se amo como amo em meus versos
Posso apenas dizer com certeza: "EU AMO"

Sim de alguma forma eu sempre amei, sempre procurei o amor, sempre lutei por algum amor, então cheguei a conclusão que preciso de um novo amor, um amor que eu me submeta, um amor companheiro ,  amigo,  que me aceite como sou e que eu aceite como vier, sem querer mudar alguém, quem ama aceita  como a pessoa é, sem tentar mudar. 

Então agora eu creio que estou pronta para amar novamente como eu sempre tentei amar alguém, não olhando para o exterios, para pequenos defeitos, nem para perfeição, alguem companehiro que queira também amar da mesma forma.

Hoje conversei com alguem e consegui ser eu, consegui sentir algo diferente, pode não ser o amor que procuro, mas pode ser, estou pronta, e pergunto

esta pessoa pode ser quem procuro, Será?

 


Publicado por JANINHAMELL em 12/02/2020 às 17h32
 
09/12/2018 02h18
NATUREZA DINÂMICA

 

E eis que chega

Verão... e que tempo!

Nos dias de verão,

Passeia com teu amor,

Divirta-se com as crianças,

É época de festa... natal...cor

Reúne-te com teus amigos.

O calor do amor é tão vital

Quanto o calor do sol!

Logo vai mudar...

Outono... Outro tempo!

As folhas voam...

Sementes caem!

Terra acolhe, revolve, mexe...

 E sente! Feliz!

É a natureza!... Vibrando em ti,

Preparando!... Em si,

Um novo tempo

Renova-se! E vem!

Inverno... o frio

Aconchega-te ao teu amor

Tempo de resistir... E sorrir!

Esperar primavera a florir

Para conceber de novo!

Amor. Alegria e prazer a ti! 

 


Publicado por JANINHAMELL em 09/12/2018 às 02h18
 
11/08/2014 22h29
A LIÇÃO DO CESTO DE JUNCO



Um discípulo chegou para seu mestre e perguntou:



 - Mestre, por que devemos ler



e decorar a Bíblia se nós não conseguimos



memorizar tudo e com o tempo



acabamos esquecendo?



Somos obrigados a constantemente decorar



de novo o que já esquecemos.



 O mestre não respondeu imediatamente



ao seu discípulo.



Ele ficou olhando para o horizonte



por alguns minutos



e depois ordenou ao discípulo:



- Pegue aquele cesto de junco, desça até o riacho,



encha o cesto de água e traga até aqui.



O discípulo olhou para o cesto sujo



e achou muito estranha a ordem do mestre,



mas, mesmo assim, obedeceu.



Pegou o cesto sujo,



desceu os cem degraus da escadaria do mosteiro



até o riacho, encheu o cesto de água



e começou a subir de volta.



Como o cesto era todo cheio de furos,



a água foi escorrendo



e quando chegou até o mestre



já não restava nada.



O mestre perguntou-lhe:



-Então, meu filho, o que você aprendeu?



O discípulo olhou para o cesto vazio



e disse, jocosamente:



-Aprendi que cesto de junco não segura água.



O mestre ordenou-lhe que repetisse



o processo de novo.



Quando o discípulo voltou



com o cesto vazio novamente,



o mestre perguntou-lhe:



-Então, meu filho, e agora,



o que você aprendeu?



O discípulo novamente respondeu com sarcasmo:



-Que cesto furado não segura água.



 O mestre, então, continuou ordenando que



o discípulo repetisse a tarefa.



Depois da décima vez,



o discípulo estava desesperadamente exausto



de tanto descer e subir as escadarias.



Porém, quando o mestre lhe perguntou de novo:



 -Então, meu filho, o que você aprendeu?



 O discípulo, olhando para dentro do cesto,



percebeu admirado:



-O cesto está limpo! Apesar de não segurar a água,



a repetição constante de encher o cesto



acabou por lavá-lo e deixá-lo limpo.



O mestre, por fim, concluiu:



 -Não importa que você não consiga decorar



todas as passagens da Bíblia que você lê,



o que importa na verdade,



é que através deste processo a sua mente



e a sua vida ficam limpos diante de Deus. 



 





Publicado por JANINHAMELL em 11/08/2014 às 22h29
 
11/08/2014 21h58
TRIGONOMETRIA AMOROSA

 

TRIGONOMETRIA AMOROSA


Um Quociente apaixonou-se
Um dia
Doidamente
Por uma Incógnita.

Olhou-a com seu olhar inumerável 
E viu-a, do Ápice à Base...
Uma Figura Ímpar;
Olhos rombóides, boca trapezóide,
Corpo ortogonal, seios esferóides.

Fez da sua
Uma vida
Paralela à dela.
Até que se encontraram
No Infinito.

"Quem és tu?" indagou ele
Com ânsia radical.
"Sou a soma do quadrado dos catetos.
Mas pode chamar-me Hipotenusa."

E falando descobriram que eram
O que, em aritmética, corresponde 
A alma irmãs
Primos-entre-si.

E assim se amaram
Ao quadrado da velocidade da luz
Numa sexta potenciação
Traçando
Ao sabor do momento
E da paixão
Retas, curvas, círculos e linhas sinusoidais. 

Escandalizaram os ortodoxos
das fórmulas euclidianas
E os exegetas do Universo Finito.

Romperam convenções newtonianas
e pitagóricas.
E, enfim, resolveram casar-se.
Constituir um lar.
Mais que um lar, 
Uma Perpendicular.

Convidaram para padrinhos
O Poliedro e a Bissetriz.
E fizeram planos, equações e
diagramas para o futuro
Sonhando com uma felicidade
Integral
E diferencial.

E casaram-se e tiveram 
uma secante e três cones
Muito engraçadinhos.
E foram felizes
Até aquele dia
Em que tudo, afinal,
se torna monotonia.

Foi então que surgiu
O Máximo Divisor Comum...
Frequentador de Círculos Concêntricos 
Viciosos.
Ofereceu, a ela,
Uma Grandeza Absoluta,
E reduziu-a a um Denominador Comum.

Ele, Quociente, percebeu
Que com ela não formava mais Um Todo,
Uma Unidade.
Era o Triângulo,
chamado amoroso. 
E desse problema, ela era a fracção
Mais ordinária.

Mas foi então que Einstein descobriu a
Relatividade.
E tudo que era expúrio passou a ser
Moralidade.
Como aliás, em qualquer
Sociedade admiravel.


Publicado por JANINHAMELL em 11/08/2014 às 21h58
 
11/08/2014 21h48
CONTENTE-SE



 
Não se entristeça

porque não está entre os mais ricos e afortunados.

Não é o muito ou o pouco que faz a sua felicidade.

Você pode viver feliz tendo muito ou pouco

e ser infeliz, mesmo sendo rico, por não ter o bastante.

O que interessa é a sua maneira de ver os bens,

e de ver a sua espiritualidade.

Recorde o que o Senhor Jesus ensinou:

"A vida de cada um não está

na abundância das coisas que possui".

Cuide da sua riqueza interior.

Os bens que você tem são adicionais,

o principal é o que está dentro de você

 


Publicado por JANINHAMELL em 11/08/2014 às 21h48



Página 1 de 3 1 2 3 [próxima»]


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
<script src='http://devocionais.amoremcristo.com/tools/devocionais_embed.asp' charset='utf-8'></script>